Mitos que estão levando ao ressurgimento de doenças evitáveis.

Mitos que estão levando ao ressurgimento de doenças evitáveis.

Com o movimento anti-vacina, houve uma enorme queda nos níveis de imunização a despeito das evidências científicas sobre os benefícios da imunização. A dissipação de mitos sobre a vacinação contribuiu para a desaceleração da cobertura vacinal no mundo e para o ressurgimento de doenças que poderiam ser evitadas.
Alguns dos mitos sobre vacinação:
👉 A maioria das pessoas que adoecem foram vacinadas: Cada pessoa possui um organismo único e reage de forma particular, o que significa que nem todos aqueles vacinados desenvolverão imunidade à doença. Pessoas que não são vacinadas, na verdade, costumam adoecer com maior frequência.
👉 As vacinas são um grande negócio para a indústria farmacêutica: Realmente, as vacinas podem ser uma área bastante interessante para as empresas farmacêuticas, porém, mesmo do ponto financeiro, elas são um bom negócio para a humanidade, já que ficar doente é muito mais caro.
👉 Meu país praticamente erradicou essa doença, então não preciso me vacinar: A vacinação reduziu a incidência de doenças evitáveis em vários países, mas não significa que está sob controle de uma perspectiva global. Na Europa, os casos de sarampo triplicaram entre 2017 e 2018 e chegaram a 83 mil.
Quem não se vacina não está colocando apenas a própria saúde em jogo, mas também a de seus familiares e outras pessoas com quem tem contato. Cuide-se! 💉❤
📲 Nosso WhatsApp: (62) 99551-5282 ou clique aqui: http://bit.ly/imuno-alergo_wa
💻 Acesse nosso site: www.institutoimunoalergo.com.br
👉 Av. T04, 619 – Sala 1301 – Ed. Buena Vista Office Design
Setor Bueno, Goiânia – GO
☎ (62) 3256-2030
📧 contato@institutoimunoalergo.com.br
#institutoimunoalergo #instituto #imunoalergo #dralorenadecastrodiniz #vacinas #alergia #imunologia #imunoterapia #goiania #medica #alergista #clinicadevacinas #vacinafebreamarela #saude #tratamentodealergia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *