É Tempo de Alergias

Dra. Lorena de Castro Diniz explica a Pharmacêutica Wellness Concept Store que o melhor caminho para ficar distante das reações é a prevenção.

O clima mais ameno da estação outono (20 de março a 21 de junho) é propício para tornar as alergias mais frequentes. E não existe idade para que o sistema imunológico tenha reação exagerada a determinada proteína. Alergias a alimentos e produtos podem ocorrer em qualquer etapa da vida, de lactantes a pacientes com idades avançadas, especialmente se a exposição ao agente alérgeno for apenas de vez quem quando.

Alergista e imunologista responsável pelo Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais do Estado de Goiás, Lorena de Castro Diniz, explica que o melhor caminho para ficar distante das alergias é a prevenção. “Na prevenção primária temos de atuar diminuindo as sensibilizações, isto é, manter hábitos de vida saudáveis para evitar ambientes com carga exagerada de alérgenos e o contato precoce com substâncias potencialmente alergênicas, como o uso de maquiagens e cosméticos na infância.”

Outro alerta, segundo a médica, é reduzir o contato com fatores desencadeadores de crises com alérgenos (ácaros) e irritantes (fumaça de cigarro, poluição, viroses), fazendo o tratamento preventivo indicado segundo a gravidade de cada caso. “Como prevenção terciária, são indicadas imunoterapias (vacinas para alergia) nos casos selecionados, em que conseguimos identificar o alérgeno responsável pelos sintomas. Esse tratamento visa a dessensibilização, levando a diminuição da frequência e intensidade das crises evitando, assim, complicações.”

IDADE

Nos jovens, a exposição mais comum a estímulos de alergia é por meio do sistema respiratório. As mudanças hormonais e psicológicas dessa fase da vida podem levas a sensibilização e desencadear sintomas alérgicos como rinite, asma e urticária, principalmente causada por aeroalérgenos (ácaros, poeira doméstica, fungos e epitélios de animais) ou alimentos (castanhas, frutas, leite, peixe e frutos do mar). Os transtornos são gastrointestinais ou cutâneos.

Já nos adultos, além da exposição por meio do sistema respiratório, ocorre também por via cutânea e gastrointestinal, levando, principalmente, a alergias do tipo alimentar, medicamentosas e dermatites de contato. Elas podem ocorrer após o contato com cosméticos em geral, produtos químicos (limpeza doméstica) e produtos relacionados ao trabalho (cimento em caso de profissionais da área de construção e látex em profissionais da saúde).

Nos idosos, as alergias mais comuns são as reações a medicamentos (analgésicos e anti-inflamatórios não hormonais) devido ao maior contato e uso nessa faixa etária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *